Marlene

Os versos, as rimas, os sonhos nos dão tranquilidade e paz!

Textos


O Barco com Poetas



Os poetas acreditam ser um barco
E entram nele

Permita-me também eu embarcar neste barco
Avançando sobre as ondas do tempo
Sem que o mastro se arqueie
Sem que haja a necessidade de se mover do lugar
Porque o tempo passa cada vez mais célere
À volta do barco

Os poetas esperam, se recusam a dormir
Se recusam a morrer
Para não perder o último momento
Quando o barco se desprender da costa

Mas o que é a imortalidade se não
Este barco de pedra
Que espera com inabalável tenacidade
Aquilo que nunca se realizará?

Poetisa: Ana Blandiana - romena -
Tradução: Ana Santa de Paulo

Digo que esse poema reflete a tristeza de milhões de brasileiros que tentam escapar do comunismo, do popuplismo barato, da destruição do nosso modo de vida, da nossa cultura...Ana está triste com a invasão comunista no seu país. Foi presa impedida de escrever, de estudar. Mas ela venceu. Venceu também as barreiras políticas da infâmia comunista. Sua luta foi a de um navegante num barco que estva à deriva, indo para um buraco ainda mais fundo e  incompreensível para ela, uma alma sensível, honesta, dedicada à verdadeira cultura artística: o BEM, o BELO - de verdade. Fiquei feliz em descobrir Ana Blandiana. Que
Deus a proteja!
Ana Blandiana
Enviado por MVA em 14/10/2017
Alterado em 15/11/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras