Marlene

Os versos, as rimas, os sonhos nos dão tranquilidade e paz!

Textos


           
Quando eu era menininha, lá dos idos de 1900 e bolinhas, meus pais me ensinaram o que era ser uma pessoa com moral. Por exemplo, quem enganava os outros, mentia, roubava, matava , não tinha moral. E Eles não permitiam que a gente sequer chegasse perto desses pessoas. Eles selecionavam com quem os filhos podiam se relacionar porque um tomate podre numa caixa se não for tirado a tempo estraga caixa toda. Preconceito? Ou preservação da moral, da família? O bem dos filhos?

Atualmente é ensinado aos menininhos que isso não tem importância, que quem engana, quem mata, quem rouba, quem mente não tem culpa, não. Os culpados são os outros. Os bandidos são endeusados, abraçados, carregados em andores como se santos fossem.

No meu modo de entender a vida, a falta de moral é a grande causadora das grandes infelicidades. O que pode causar uma mentira constante, a que leva outras pessoas a errar? É certo? É moral ou imoral, ou amoral? Eis os o cardápio para o nobre leitor.

No Brasil, como no mundo o problema da corrupção sempre existiu. Ouço falar desse defeito de caráter de algumas pessoas desde menininha. Mas aqui no Brasil, como os exemplos de outros lugares não ajudam na prevenção, esse mal se agravou com a chegada do PT ao poder.

Pela conquista do poder fizeram o diabo: mentiram, compraram, corromperam, venderam leis, venderam suas presenças em várias situações. Por acaso essas categorias de eventos são tesouros da humanidade? Representam o Bem, o Belo, o Bom? Representam justiça aos mais infelizes?

Quando o dinheiro tirado da saúde não alcança os hospitais, não alcança os transportes, não alcança a educação, a segurança porque os corruptos, optaram pelo desvios do mesmo para seus próprios bolsos ou de terceiros, isso é justo? Não é falta de moral, da honestidade, do altruísmo, do amor ao próximo? Esses problemas são a consequência da falta de moral, sim. Os corruptos, são imorais e amorais. Devem ir para a prisão e, pena que não temos prisão perpétua. Lá eles iriam pensar, pensar, pensar e morrer de pensar no que fizeram a uma nação inteira.

Uma nação inteira sofrendo as consequências de atos corruptos.Inflação alta que não permite as pessoas viverem com dignidade. Desempregados perambuando pelas ruas atrás de um trabalho, é justo? Não é  consequência da falta de moral? E só se juntou a isso quem não tem moral. Não tem caráter, não tem dignidade. Só abraça corrupto, ladrão, assaltante de aposentados quem também não tem moral. Quem apoia e defende quem tanto fez mal para si mesmo é masoquista, pra não dizer cúmplice, comparsa de criminoso.
.
Mas ainda bem que não estou ainda vazia, tenho sentimentos, sou a substância verdadeiramente humana ainda, tenho alma, sinto,  sou concreta, carne e ossos, vibro de alegria, choro de raiva de ser roubada, enganada, humilhada por bandidos, safados.

Ninguém é apenas um no Universo. Todos fazemos parte desse Universo e as ações praticadas, faladas, escritas, tem seu poder , fazem eco no Universo e nele reagem, para o bem ou para o mal. E voltam para o emissor.

Ninguém é um grão. Pode sentir-se um grão, o que não é indicativo de humildade, apenas é um mau agradecido para com quem lhe deu a natureza bela e plena ; luz, água, sol , mar, plantas, animais, alimentos a farta, companhia, e ainda sentir-se um grão é um desrespeito para com quem criou tudo e lhe oferta gratuitamente, exigindo apenas moral em troca e, amor por tudo e por todos.

Pessoa imoral ás vezes, ou todas as vezes têm títulos, são doutores, mas são formados na arte da imoralidade. Da ganância, do poder. Poder comprar tudo e todos. Ter toda uma nação subserviente, descompensada, faminta, assustada com a violência não tem a ver com a moral? Não é a falta da moral?

Não é questão de moral desarmar, mentir para esta  população que o desarmamento lhes traria mais segurança, enquanto os mentirosos andam em carros blindados, com segurança armada, com armas em casa para se defender? Nada a ver com  a  moral? É falta de vergonha na cara!

Nada a ver com moral querer que as escolas ensinem às crianças de idade mínima , 5,6,7 noções de sexualidade, de gênero, sem a permissão dos pais, ensinando- as a esconder que isso acontece nas salas de aula? É falta de moral, sim, e tem a ver com a moral.

E a falta de moral atinge aspectos mais íntimos da vida social; ensinar uma criança a desrespeitar seus pais, a não colaborar com as tarefas domésticas, com a própria educação escolar, nada a ver com  moral,  pudor, vergonha na cara. Mas a criança pode ficar no sinal do trânsito fazendo malabares,  qual palhaço que seus pais são, vendendo balas, enveredando pelo mundo do crime, das drogas; não é questão de moral? É de falta dela.

Partidos políticos que desgovernam uma nação, que apoiam o aborto, que dizem que as mulheres são donas do seu corpo, que portanto podem matar seus filhos, tornado-se assassinas, ainda no útero, nada com a têm moral? São imorais porque falam uma coisa e praticam outra. Trocando em miúdo: mentem.

Juízes que tem o dever de preservar a vida a qualquer custo, pois enquanto há vida, há esperança, determinam que crianças anencéfalas podem ser abortadas, assassinadas ainda no útero. São Assassinos togados. São imorais, não têm moral. Não tem vergonha, porque facilitam a morte para outras pessoas pois sabem que estão protegidos debaixo da toga e do cargo. Mas não estão nem ficarão impunes por essa imoralidade.

Acredito que tudo o que estamos vivendo é fruto e consequência da imoralidade, da amoralidade, sim, da falta de caráter, dos partidos que assumiram o governo e se consideravam senhores absolutos do Brasil. Os donos do dinheiro, dos cargos, dos políticos que se corromperam.

E a falta de moral atinge boa parte população, que está esperando 2018 para eleger o ser mais imoral, mais abjeto da nossa história política e os seus , os que o ajudajudaram na imoralidade. Aliás só se aproximou de Lula quem não tinha moral. Ele só apresentou seu projeto imoral a quem não tinha moral, pois para os moralistas, para os bobos, para os trouxas ele não podia apresentar tal plano de ação.

Não estou pensando com profundidade porque meu país sequer entende o que é profundidade de pensamento. Muitos são analfabetos completos, outros analfabetos funcionais que se orgulham de nunca terem estudado, outros maria-vai-com-as- outras pela fraqueza, ou por necessidade. Então... na profundidade do pensamento imoral lula será eleito em 2018. E nos resta nos prepararmos para catar comida no lixão, como a Venezuela, onde aquele ser imoral, e amoral governa com garras opressoras, ditadoras, antidemocráticas, anti tudo. Ele não tem moral nenhuma.

Realmente não sei nada da moral atual. Sei daquela que eu e meus irmãos herdamos de meus pais que diziam que a maior riqueza de um homem, era o trabalho honesto; que o que era do outro ninguém podia tirar; que a propriedade do vizinho não podia ser invadida, a menos que ele consentisse. Nem para pegar uma laranja caída no chão. A obrigação se tivesse vontade era pedir permissão para pegar algo dentro do quintal do vizinho. A moral de hoje ensina que roubar a bicicleta de alguém é desculpável, que criminoso é quem reage. A mãe chora porque o filho foi punido, não de vergonha por ele ser um ladrão safado que tira algo de alguém.

Esta filosofia de vida foi implantada no Brasil, grão a grão, com paciência do tempo,  para desestruturar a sociedade. Implantou-se a imoralidade, o desrespeito com a rés pública, com a lei, com tudo.

Realmente não sei o que é moral, nem coisa nenhuma. Esta é a minha opinião sobre a observação da Moral. Sem critério filosófico. Apenas o critério pessoal, bem pessoal, o critério da observação, pelos meios de comunicação...Não só televisão.

Sou eu! Insignificantemente orgulhosa de ser o que sou, ter a grandiosidade de ser mãe, o que agradeço de joelhos a Deus todos os dias, de ser avó, de ter ensinado a moral, a moral cristã aos meus filhos, ensinar ainda aos meus netos; ter colaborado com a educação de muitos, muitos alunos que depois de muitos anos ainda se lembram de mim e quando me vêm em algum lugar, vêm ao meu encontro sorrindo, me abraçando, me felicitando por tudo que eu fiz. E fiz minha obrigação, mas eles me são agradecidos e eu feliz. Disso eu me orgulho e, como me orgulho!

Tenho orgulho de gostar de aprender, de estudar, de costurar, de cozinhar, de ser feliz. Tenho orgulho de ser dona de casa. De cuidar de minha casa, de minhas plantas, de lavar a louça do jantar , de lavar a roupa da família. Faço porque tenho moral . Aprendi que numa casa somos e devemos ser solidários, cooperativos, desde pequenos. Pois é de pequeno que se aprende a ser adulto com moral, com caráter, ser amigo, ser agregador. Diante do que sou, do que fiz durantes sete décadas  de vida eu ainda não sei o que moral. Confundo alho com bugalho. Fazer o quê? 

Mas uma coisa eu sei: Não vou votar em gente sem moral. Provado o crime, é criminoso. Meu voto não leva mais. Vou procurar outro candidato, que partilhe da  mesma moral  que seja  merecedor  da minha confiança, da minha alegria de viver num país saudável, pelo menos melhor para os meus filhos e netos e  a geração que vier depois de mim.

 
MVA
Enviado por MVA em 15/06/2017
Alterado em 20/06/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras