Marlene

Os versos, as rimas, os sonhos nos dão tranquilidade e paz!

Meu Diário
02/01/2007 01h48
Tudo pronto
"O Homem compra tudo prontinho nas lojas:
Mas não há lojas de amigos, os homens
não têm mais amigos".


( Antoine De Saint Exupery- O pequeno Princípe )

Publicado por MVA em 02/01/2007 às 01h48
 
02/01/2007 01h45
Sem tempo
“ Os homens não têm tempo de conhecer coisa alguma”.


( Antoine De Saint Exupéry _ O pequeno Príncipe )

E não têm mesmo. Não consegue tempo para si mesmo , para aprender algo diferente. Se auto realizar

Publicado por MVA em 02/01/2007 às 01h45
 
02/01/2007 01h38
Amigos
“Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer”.

(Antoine Saint Exupéry – O Pequeno Príncipe)

Publicado por MVA em 02/01/2007 às 01h38
 
02/01/2007 00h07
Tolerância
“Quando encontrava uma pessoa que parecia um pouco lúcida, fazia com ela a experiência do meu desenho número 1 ( jibóia engolindo um elefante), que sempre conservei comigo. Eu queria saber se ela era verdadeiramente compreensiva. Mas respondia sempre: “é um chapéu”. Então eu não lhe falava nem de jibóias, nem de elefantes, nem de florestas virgens, nem de estrelas. Punha-me ao seu alcance. Falava-lhes de bridge, de golfe, de política, de gravatas. E a pessoa ficava encantada de conhecer um homem tão razoável”.
(Antoine de Saint Exupéry- O Pequeno Príncipe).

Nem toda a pessoa que fala bem é compreensiva isto é, entende os significados ou saiba interpretar, compreender principalmente os sentimentos de outras pessoas. Tanto que quando percebe que a pessoa repetia o mesmo que todos já haviam repetido, simplesmente se cala, não tentava explicar o que desenhara; era a opinião de alguém que, embora o chateasse pela inverdade ou, falta de compreensão, era uma opinião pessoal e livre.

Ele respeitava a singularidade de cada um e partia para a igualdade, tornava-se igual para não constranger o outro com sua grandeza de conhecimento. Como falar de viagens com quem nunca viajou? Como falar de florestas com quem nem sabe o que é uma floresta? Falar de estrelas, com quem nunca olhou para o céu, é no mínimo estranho. Ele compreendeu essa situação, essa defasagem de cultura e não traumatizava o interlocutor com suas experiências riquíssimas.

As pessoas sentem-se menos à vontade com que tem uma experiência maior que a delas.
Não se trata de estudo, mas de conhecimento, de experiências de vida que podem ser transmitidas num diálogo lógico e sereno. Mas, as pessoas são crianças que gostam de chapéus vazios para colocar em suas cabeças... vazias.

A superficialidade dos diálogos, dos programas de TV, é algo assustador. Mantém as crianças grandes e pequenas em cativeiro no quadrilátero das telas e das salas. Não há espaço para uma troca de opinião, e quando há essa opinião descamba para a discussão pela imposição de idéias. E aí se dá a incrível descida: você desce até seu interlocutor

A imaginação, a sensibilidade, é incômodo que as pessoas devem ultrapassar. Em resumo de tudo e não precisaria ter escrito nada disso, se eu tivesse escrito assim. Ele (Saint Exupéry) foi tolerante com os ignorantes.

Publicado por MVA em 02/01/2007 às 00h07
 
27/12/2006 02h05
O Silêncio
“O silêncio é pressionar o botão para desligar.”

Frase inserida no texto romance O Caçador de Pipas de
Khaled Hosseini

Realmente se você não se desligar de você mesmo, continua ouvindo o mundo exterior com todos os ruídos, gritos, miados, latidos, e sentimentos até contraditórios.

O silêncio deve ser da mente. Esquecer. Deixar a alma quieta, descansar a mente. Deixar a espiritualidade se exteriorizar, se mostrar rica, cheia de valores diferentes dos que conhecemos.

Oxalá consigamos esse silêncio tão precioso.

Publicado por MVA em 27/12/2006 às 02h05



Página 8 de 12 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]



Site do Escritor criado por Recanto das Letras