Marlene

Os versos, as rimas, os sonhos nos dão tranquilidade e paz!

Meu Diário
30/11/2007 16h52
Dia Diferente dos Outros

 


 


Sabe, às vezes a gente levanta tão alegre, tão feliz que parece que o mudo é outro. Parece mais claro, mais suave, mais aberto... E os adjetivos parecem tão poucos para classificar todos os sentimentos que advém desse dia... Pelo menos até o momento.


 


No clarear do dia as nuvens são mais brancas - hoje ainda existem nuvens no céu – e de uma brancura tão branca que ao olhar para cima doem os olhos – ou será a miopia e o astigmatismo que fazem os olhos doerem?


 


Os cães latem, mas parecem tão mansos, até quietos, a escutar a natureza, nada os assustam, nem os irritam... Eles também estão felizes. Não houve até agora mais violência contra eles – se estar numa coleira não for violência e sua casa ser num cubículo de num apartamento – aliás, “apertamento” - então a felicidade é real.


 


As cigarras, não cantam...  Parecem escutar o movimento da terra para sair em busca se seu alimento e, também estranham a quietude...Mas estão felizes, nada as está ferindo, agredindo...Que bom se fosse sempre assim...


 


Na árvore debaixo da minha janela os pássaros cantam tão bonito que convida a gente a participar dessa sinfonia divina, simples, e forte. Eles são fortes. Cantam sua liberdade de galho em galho. Parece dizer aos que estão nas gaiolas que se rebelem, que tentem fugir dessa ignóbil prisão. E os das gaiolas emudecem...Calam...Será de medo do “dono”?


 


Mas, e as crianças? Estão lá fora com os pássaros, em liberdade plena. Podem correr, gritar, pular,  sentar no chão, sujar a mão e a roupa, rir de tudo e de todos. Estão felizes. E as mães de longe vigiam, também felizes, os maiores, enquanto paparicam os engatinhados dos pequenos que já ensaiam as brincadeiras fora de casa.


 


É. Decididamente hoje parece um dia feliz. Não liguei a tevê. Não ouvi notícia de violência, de assalto aos cofres públicos, de falta de política social -verdadeira e desinteressada-.Nem de acidentes de carro ou de avião, filas nos hospitais...Fiquei esta manhã sem tevê e o mundo é outro, mais alegre. Tão bonito! Tão verde! Tão colorido! Eu me alienei, hoje. Quis ter um dia de paz, de tranqüilidade...


 


Gostaria que fosse sempre assim: essa Paz de vida, de energia boa de humanidade sincera...Peço então a Deus que nos abra os olhos para vermos tanta beleza bem diante da nossa janela...Para abrir as mentes e consciências para perceber a bondade que existe a nossa volta.


 


Peço a Deus que nos cure da nossa deficiência moral: o egoísmo para com as outras pessoas, com a natureza e o meio ambiente que nos deu para vivermos com dignidade e solidariedade.


 


Peço a Deus que esse dia de alegria, de paz, não fique só no hoje. Que nossa vontade seja canalizada para o bem de todos. Que os olhos humanos possam ver nos outros homens o seu próprio ser. Que esse dia possa ser duradouro, sem lágrimas, sem fome, sem dor...Peço só isso diante desse dia, que incrível, sol já apareceu.. Esquentou a minha alma com raios de Luz e de Amor.


Publicado por MVA em 30/11/2007 às 16h52



Site do Escritor criado por Recanto das Letras