Marlene

Os versos, as rimas, os sonhos nos dão tranquilidade e paz!

Meu Diário
16/01/2009 01h56
Soneto LXXXVIII
Quando me tratas mau e, desprezado,
Sinto que o meu valor vês com desdém,
Lutando contra mim, fico a seu lado
E inda perjuro, provo que é um bem.
Conhecendo melhor meus próprios erros,
A te apoiar te ponho a par da história
De ocultas faltas, onde estou enfermo;
Então, ao me perder, tem toda a glória
Mas lucro também tiro desse ofício:
Curvando sobre ti amor tamanho,
Mal que me faço me traz benefício,
Pois o que ganhas duas vezes ganho.
Assim é o meu amor por ti reporto
Por ti todas as culpas suporto.

William Shakespeare

Publicado por MVA em 16/01/2009 às 01h56
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Site do Escritor criado por Recanto das Letras