Marlene

Os versos, as rimas, os sonhos nos dão tranquilidade e paz!

Meu Diário
11/09/2008 01h30
Saudades!


Saudades! Sim...Talvez...E por que não?
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até a morte
Deslumbrar-me de luz o coração!

Esquecer? Para quê?...Ah! Como é vão!
Que tudo isso, Amor, não nos importe.
Se ele deixou beleza que importe
Dever ser sagrado como pão!

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti.

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse atrás de mim!

Florbela Espanca

Publicado por MVA em 11/09/2008 às 01h30
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Site do Escritor criado por Recanto das Letras